Madeiras de Reflorestamento – Dicas Sustentáveis

As madeiras de reflorestamento são obtidas de florestas plantadas, ou seja, de árvores que foram feitas já com a finalidade de serem extraídas, e novas árvores são plantadas no mesmo local de onde elas foram tiradas.

A vantagem então do uso de madeiras de reflorestamento na construção civil ou na fabricação de móveis é que não existe devastamento de mata nativa. O processo de extração de madeiras nativas, ao contrário do replantio, extrai árvores surgidas naturalmente e deixa o local vazio em seguida.

O Brasil é considerado um bom país para o cultivo e extração de madeira reflorestada, especialmente de eucalipto, pois as condições climáticas favorecem o rápido crescimento das árvores. Aqui elas podem ser aproveitadas quando têm cerca de 7 anos, enquanto na Europa, por exemplo, podem precisar de aproximadamente 30 anos.

Outro apelo ecológico do uso de madeira de reflorestamento na construção é que o gasto de energia para adquirir o material é imensamente menor do que o de materiais como aço, concreto ou alumínio. E depois de pronta, a construção com madeira tende a ter um bom desempenho térmico e acústico.

Não existe motivo, portanto, caso se queira adquirir móveis de madeira ou construir casas com esse material, para usar madeiras nativas ao invés das reflorestadas. Basta saber qual o tipo de madeira e utilizada e sua procedência, e dar preferência para aquelas que forem provenientes de áreas de manejo sustentável.

As mais comuns no Brasil para esse tipo de finalidade são:

– Eucalipto: É a árvore de reflorestamento o mais plantada no Brasil, devido à sua velocidade de crescimento,  e pode ser do tipo “Grandis”, mais claro e mais comum, ou do tipo “Citriodora”, mais escuro, pesado e resistente. Muito usada como estrutura nas construções, gerando visual rústico e robusto.

– Pinus Elioti: A primeira árvore a ser utilizada para replantio no Brasil, que fornece madeira de aspecto amarelado e com muitos nós, que são aquelas marcas arredondadas e escuras presentes de maneira irregular em casa peça.

– Araucária: Bem utilizada na indústria moveleira por sua tonalidade e por ser fácil de se trabalhar, embora tenha crescimento mais lento.

– Teca : Madeira também comum em móveis, pois tem boa aparência, é resistente e tem boa usinagem. É no entanto mais cara, por isso costuma ser mais utilizada para exportação ou móveis de alto padrão.

Outras madeiras de reflorestamento menos comuns são a grevílea e o cinamomo, entre outras.

Fonte: http://dicasdearquitetura.com.br/madeiras-de-reflorestamento/